0

Estado quita folha para 160 mil servidores nesta quinta-feira.

Matéria publicada em: 28/12/2017 | Por: Fernando Velasquez

O governo do Estado começa, nesta quinta-feira (28), o pagamento da folha do mês de dezembro quitando os salários para os servidores com rendimento líquido de até R$ 2 mil, o que contempla integralmente um total de 160.038 vínculos do Poder Executivo. Para atender a esse universo de funcionários (47% das matrículas), a Secretaria da Fazenda (Sefaz) precisou reunir em caixa um total de R$ 227,4 milhões. O recurso ingressará na conta bancária dos funcionários no início da noite.

Também será realizado nesta quinta-feira o repasse relacionado com a indenização pelos dias de atraso no pagamento dos salários e no parcelamento do 13º salário de 2016. A correção pelo índice da Caderneta de Poupança representa um custo total de R$ 73 milhões.

Outra pendência que a Sefaz está regularizando são as consignações ainda vinculadas à folha de novembro e que somam quase R$ 170 milhões. São valores que o servidor autorizou descontar dos seus vencimentos para instituições bancárias (empréstimo consignado e outros) ou entidades sindicais. Do total das consignações, o principal repasse é para o Banrisul, que chega a R$ 112 milhões.

A parte líquida da folha do mês de dezembro fechou em R$ 1,175 bilhão. Ao todo, o Poder Executivo contempla 342 mil vínculos entre ativos, inativos e pensionistas. Pelo quarto mês consecutivo, o pagamento dos salários segue orientação do governador José Ivo Sartori de pagar antes os que ganham menos. A previsão é quitar os salários para quem ganha acima de R$ 2 mil líquidos até o próximo dia 23 de janeiro, conforme o comportamento da receita.

Demais pagamentos

Após demoradas reuniões com a equipe do Tesouro do Estado, o secretário da Fazenda, Giovani Feltes, autorizou também o repasse de R$ 118 milhões para o custeio da Saúde (convênios com hospitais e municípios). Houve também a liberação de R$ 14 milhões para o pagamento do transporte escolar, R$ 25 milhões para fornecedores (em especial prestadores de serviços) e a complementação do duodécimo dos demais poderes e órgãos de Estado, que alcançou R$ 355 milhões no mês.

Texto: Pepo Kerschner/Ascom Sefaz
Edição: Sílvia Lago/Secom

.

Comente!

Enviar Comentário